• Rentbrella

Novas perspectivas: um novo começo para nossos guarda-chuvas e para o meio ambiente

O guarda-chuva, uma ferramenta usada há mais de 3 mil anos, é essencial para se viver no ambiente urbano. Ao utilizá-lo em dias de chuva, deixamos de emitir até 5,7 toneladas de CO2, já que dimuímos a utilização de carros ao facilitar o deslocamento a pé mesmo sob estas condições adversas. Entretanto, seu impacto no meio ambiente pode se tornar desastroso. Calcula-se que anualmente são produzidos mais de 1,4 bilhões de guarda-chuvas e descartados incorretamente 1,1 bilhões deles ao redor do mundo. Somente o Brasil acumula mais de 55% de toda importação para América do Sul, segundo o CEPII.




Para diminuir a quantidade de peças jogadas fora anualmente, a Rentbrella incentiva o compartilhamento de guarda-chuvas ao redor do mundo e o trabalho não para por aí. Nossos guarda-chuvas são feitos com fibra de vidro, o que os torna muito mais resistentes, e com tecido rPet, feito com garrafas pet recicladas, que dão uma destinação correta a esse material que demora mais de 400 anos para se decompor e ainda economiza água durante a produção do tecido.


Mas a preocupação com o meio ambiente não diz respeito apenas à produção e utilização das peças, reflete também no que acontece com elas quando não podem continuar sendo utilizadas. O que você faz com o seu guarda-chuva quando quebra? O que acontece com estes 1,1 bilhão descartados anualmente?


Quando falamos em destinar corretamente resíduos ou reutilizar aquele material em novos produtos, estamos falando sobre os principais pilares da economia circular. A estrutura que faz a sustentação do guarda-chuva pode ser encaminhada para reciclagem e o tecido pode virar um produto novo e continuar fazendo parte do dia a dia das pessoas.


Quando nos perguntam o que fazemos com os guarda-chuvas que são danificados no compartilhamento, pouca coisa nos traz mais satisfação que o projeto "Guarda-mais-que-chuva". Pelo segundo ano consecutivo, em parceria com o Instituto Unimed, ressignificamos os tecidos desses guarda-chuvas. No primeiro ano, foram produzidas ecochilas, estojos e máscaras, que foram 100% destinados a ONGs e famílias que puderam se proteger ao mesmo tempo que cuidavam do meio ambiente.




Em 2022, ecochilas, estojos e necessaires puderam ser confeccionados pelo Centro Educacional Josefa Rodrigues (Creche Marina) e distribuídos no dia internacional da reciclagem (17 de maio) na ONG CENHA. Mais de 300 pessoas foram diretamente beneficiadas ao receberem os produtos, mas o impacto ambiental e social (para quem recebeu e para a ONG que produziu) não são mensuráveis.


Os produtos, que continuam sendo à prova d'água, agora poderão ser ressignificados e alegrarão os dias de centenas de pessoas assistidas pela ONG. E para quem compartilha o guarda-chuva, fica a certeza de que estamos protegendo não só cada uma das pessoas com os guarda-chuvas, mas também o meio ambiente e o futuro da nossa sociedade.


O futuro é feito do compartilhamento. O futuro é feito com responsabilidade. O futuro é feito hoje.


6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo